In news

É mais uma evidência do potencial que este novo setor da aeronáutica representa. O Ministério da Saúde da Republica de Vanuatu, em conjunto com a UNICEF, lançou um concurso público para adquirir um sistema baseado em Aeronaves Não Tripuladas (ANT) para a entrega de vacinas em localidades de difícil acesso.

Não é a primeira vez que a UNICEF recorre a aeronaves não tripuladas em operações humanitárias. Em fevereiro de 2017, quando o Malawi sofreu grandes cheias, esta agência das Nações Unidas usou drones para coordenar as operações de socorro.

O Vanuatu é um arquipélago do Pacifico com 83 ilhas de difícil aceso que está a explorar a utilização de Aeronaves Não Tripuladas , ou drones, como uma forma rápida, fiável e eficaz de transporte de vacinas desde instalações médicas até aos dispensários ou centros de saúde e unidades moveis de vacinação.

Neste processo está também incluída a manutenção rigorosa dos estados das vacinas dado que as mesmas têm que ser mantidas entre os 2 e os 8 graus celsius permitindo assim a respetiva utilização de forma eficaz.

O objetivo principal deste projeto é verificar a exequibilidade técnica e sustentabilidade financeira em incluir este novo modo de transporte no atual Programa Alargado de Vacinação como uma forma de chegar a mais pessoas. De forma a atingir o sucesso, o Ministério da Saúde está a ponderar contratar até três prestadores de serviços através de um processo de concurso publico. Foram já lançadas oficialmente três Propostas para serviços em Pentecost, Epi & Shephedrs e Erromago respetivamente.

As informações do processo podem ser consultadas neste link http://unicefstories.org/drones/vanuatu/

Share This