In news

A APANT, em colaboração com a empresa The Race, organizadora do Portugal Air Summit 2018, promoveu um painel dedicado às empresas portuguesas de sucesso na implementação de serviços com aeronaves não tripuladas (ANT).

Em 2017 nasceu a DRONINSPECT, um projeto dedicado às inspeções industriais com recurso a aeronaves não tripuladas. Pedro Carpinteiro, sócio da DRONINSPECT apresentou nesta segunda edição do Portugal Air Summit 2018 a nova abordagem para espaços confinados que pode ser realizada com sucesso graças à nova tecnológica das ANT.

A inspeção visual baseada em UAS (Unmanned Aircraft System) permite detetar danos óbvios, falhas e irregularidades nos espaços mais inacessíveis , espaços interiores complexos e estruturas verticais exteriores. As ANT permitem uma redução dos custos de operação e inspeção e um aumento da segurança dos trabalhadores através de soluções de inspeção flexíveis e rápidas.

No Portugal Air Summit a experiência da DRONINSPECT com aeronaves não tripuladas permitiu concluir que:

  • A utilização de ANT torna as inspeções acessíveis, eficientes e simples de executar;
  • As inspeções são realizadas de uma forma mais rápida, o que resulta num menor tempo de paragem dos equipamentos;
  • Com a utilização de UAS elimina-se ou reduz-se a necessidade de colocar pessoas em situações de risco, como em espaços confinados e trabalhos em altura;
  • As inspeções com recurso a UAS apresentam um custo menor do que com o uso de cordas ou andaimes.

A DRONINSPECT é um exemplo das inúmeras aplicações que são uma realidade com o desenvolvimento deste novo setor da aeronáutica.  A DRONINSPECT e associada da APANT e partilha com ela o objetivo de promover as mais valias da utilização deste tipo de equipamento.

Para mais informação e contatos: www.droninspect.pt

 

Share This