By
 In news

No dia 22 de agosto de 2018 terminou o processo de consulta internacional da JARUS sobre a metodologia SORA que contou com a participação da APANT neste documento essencial para as futuras operações de tipo “específicas” com aeronaves não tripuladas.

Foi no passado mês de junho que a Joint Aviation Authorities on Unmanned Systems (JARUS) lançou para consulta a segunda edição do documento “guidelines on Specific Operations Risk Assessment” (SORA Specific Operations Risk Assessment – Avaliação de Riscos das operações especificas), e mais quatro (4) anexos, que foram atualizados após o processo e consulta interna lançado na JARUS em setembro de 2017.

Os cinco documentos para consulta foram:

  • JARUS guidelines on Specific Operations Risk Assessment (SORA) – main body;
  • SORA Annex B “Integrity and Assurance Levels for the Mitigations used to reduce the intrinsic Ground Risk Class”;
  • SORA Annex C “ Strategic Mitigation – Collision Risk Assessment”;
  • SORA Annex D “Tactical Mitigation – Collision Risk Assessment”;
  • SORA Annex E “Integrity and Assurance Levels for the Operation Safety Objectives (OSO)” Standard scenario for Daytime Aerial Work Operations.

O objetivo desta consulta é o de permitir consolidar uma versão 2.0 deste importante documento que estabelece uma aproximação holística para a avaliação dos riscos da operação e da aeronave. Esta edição final do SORA, se adotada pela EASA, terá definitivamente uma grande influência nas futuras operações de aeronaves não tripuladas.

Desde a sua criação com a primeira versão em abril 2016 o SORA tem sido um documento vivo e está a demonstrar a sua mais-valia e os seus benefícios como uma metodologia harmonizada de avaliação de riscos.

É de esperar que as Autoridades de aviação nacionais passem a adotar a metodologia SORA com o objetivo de avaliar as operações com aeronaves não tripuladas na categoria específica. Até a data não existe uma calendarização precisa para a sua implementação embora muitas Autoridades nacionais já estão a familiarizar-se com esta metodologia.

A APANT está a acompanhar desde o princípio os desenvolvimentos do SORA e, junto dos seus Associados, pretende ser um parceiro europeu privilegiado para defender os interesses dos associados da APANT de forma conjunta.

_____________

A JARUS é um grupo de especialistas de 54 nacionalidades e de várias organizações internacionais de segurança aérea, entre elas a EASA (Agência europeia para a segurança da aviação – European Aviation Safety Agency) e o EUROCONTROL. A JARUS tem como objetivo a identificação de requisitos técnicos, de segurança e operacionais para a certificação e a integração segura das aeronaves não tripuladas (ANT) no espaço aéreo e nos aeródromos. Para cumprir o seu objetivo na atualidade existem sete (7) grupos de trabalho a proporcionar apoio e material guia para as Autoridades de aviação nacionais.