By
 In news

O Governo aprovou o Portugal Espaço 2030 uma estratégia de investigação, inovação e crescimento para Portugal que terá no domínio das aeronaves não tripuladas um dos pontos fortes de intervenção.

O Espaço é um território vasto, não só em grandeza, mas também em desafios e oportunidades. E é precisamente sobre este considerando que a APANT, consciente da função que as Aeronaves Não Tripuladas terá neste domínio, chama a atenção para esta estratégia.

É uma das funções da APANT, acompanhar as tendências do setor bem como desenvolver todos os esforços para a integração das Aeronaves Não Tripuladas no espaço aéreo. Neste caso particular, e tratando-se de duas áreas criticas, é importante dar a conhecer este documento de orientação que se divide em 3 eixos.

Eixo 1: O fomentar da procura do crescimento económico e da criação de emprego qualificado com o desenvolvimento de serviços com especial destaque para as aeronaves não tripuladas (…).

Eixo 2: (…) É, assim, essencial adotar uma estratégia de diferenciação, tirando proveito da localização geográfica de Portugal, nomeadamente do posicionamento atlântico do país, capitalizando a base científica e tecnológica e a capacidade empreendedora nacional;

Eixo 3: (…) Ainda existem grandes desafios e barreiras a superar de modo a aumentar a sua dimensão, influência e competitividade, designadamente em termos do impacto da capacidade instalada na economia e na sociedade.

A nova Estratégia Portugal Espaço 2030 assenta em cinco linhas de ação no âmbito jurídico, financeiro, institucional, de internacionalização e de cultura científica.

A APANT congratula-se com esta iniciativa do Governo cujas cinco linhas de ação convergem na missão e nos princípios defendidos pela Associação, e confia que esta estratégia seja mais uma alavanca para o desenvolvimento seguro e sustentável do setor das aeronaves não tripuladas em Portugal.

</p> <p>Estratégia Portugal Espaço 2030