In news

Decorreu no dia 12 de outubro de 2017, no Centro de Congressos de Lisboa, o LusoAvia, o primeiro dia do encontro internacional de aviação dos países de língua portugesa, que contou com a abertura do Presidente da Confederação Empresarial da Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP), Salimo Abdula, do Presidente do Conselho de Administração da ANAC, Luís Miguel Silva Ribeiro e o CEO da TAP, Fernando Pinto, entre outros ilustres oradores.

A APANT, no seu interesse na promoção do setor das aeronaves não tripuladas, apoiou a celebração deste evento e participou no painel do “Mercado comum, novas oportunidades, a indústria e os números”.

O Presidente da Direção da APANT, Gonçalo Antunes Matias, apresentou os requisitos necessários ao desenvolvimento do potencial de desenvolvimento que o setor das aeronaves não tripuladas tem, com grande destaque para a adequada regulamentação e o desenvolvimento tecnológico.

A APANT, enquanto associação representativa do setor das aeronaves não tripuladas em Portugal, tem acompanhado a nível nacional e internacional as propostas de regulamentação deste setor, em especial a proposta do futuro regulamento europeu recentemente apresentado pela EASA, tendo acompanhado estas matérias também em Monteral, nas conferências da International Civil Aviation Organization (ICAO) dedicadas ao mesmo tema.

Do ponto de vista tecnológico, a APANT releva ainda a importância dos novos meios técnicos que vão permitir, em segurança, a gestão do volume de tráfego de aeronaves não tripuladas, tendo inclusive estabelecido um protocolo de colaboração com a NAV Portugal, a empresa gestora de tráfego aéreo em Portugal, no sentido de acompanhar o desenvolvimento, por exemplo, do conceito de Unmanned Aircraft System Traffic Management (UTM).

No âmbito da coordenação e cooperação com os países de língua portuguesa, objecto da conferência que decorreu até sábado, a APANT está a desenvolver contactos com outras entidades destes países lusófonos, no sentido de partilhar experiências, aproveitando os conhecimentos e as boas práticas dos intervenientes, no sentido de promover o desenvolvimento deste importante setor, ao nível comercial e também da investigação, no seio da comunidade da lusofonia.

Share This