By
 In news

No âmbito da realização da Conferência de Alto Nível sobre Drones em Amesterdão no passado dia 27 e 28 de Novembro de 2018, foram abordadas várias temáticas de grande relevância para a área da Aviação não Tripulada.

Como corolário deste evento, foi elaborada uma declaração, com o apoio a da EASA entre outras entidades de relevo, e que, de um forma geral transmite a situação atual bem como os futuros passos para a o desenvolvimento da Aviação Não Tripulada.

Nomeadamente, existem cinco diretrizes essenciais:

  • Fomentar a integração da mobilidade inteligente e acesso justo a todas as dimensões do espaço público (sociedade, transporte, emergência…);
  • Desenvolver e otimizar um mercado de serviços para Aeronaves Não Tripuladas;
  • Criar e Implementar atempadamente o enquadramento regulamentar para o U-Space;
  • Considerar claramente as necessidades e iniciativas locais;
  • Executar e estabelecer prioridades para projetos de Investigação e Desenvolvimento para a Aviação Não Tripulada.

De uma forma geral, a Conferencia de Amesterdão veio, mais uma vez, apelar toda a sociedade, industria e entidades/autoridades nacionais que esta é uma área em rápida expansão e que é altamente necessário que se produza um enquadramento regulamentar para que facilite a sua integração, bem como, estabelecer diretrizes bem definidas para a investigação e desenvolvimento como meio facilitador da integração segura das Aeronaves Não Tripuladas no espaço aéreo.

A APANT, Associação Portuguesa de Aeronaves Não Tripuladas, como entidade de referência para esta área, está a seguir atentamente todos estes desenvolvimentos e a contribuir ativamente para a integração deste novo interveniente bem como a contribuir também para criar mais-valias para a sociedade.

Sugerimos a leitura da Declaração de Amesterdão como forma de melhor compreender quais os grandes desígnios propostos.

drones-amsterdam-declaration-28-nov-2018-final