By
 In news

A Associação Portuguesa de Aeronaves Não Tripuladas, APANT, voltou pelo terceiro ano consecutivo a participar na maior cimeira aeronáutica da Península Ibérica, no Portugal Air Summit, como entidade participante assumindo também o papel de entidade organizadora para alguns eventos e sessões relacionadas com o tema das aeronaves não tripuladas.

Este evento decorreu em Ponte de Sôr entre os dias 30 de Maio e 2 Junho de 2019 reunindo várias entidades ligadas ao sector aeronáutico. Da mesma forma, foram também efetuados alguns workshops e conferências com temas variados da atualidade do transporte aéreo. Destaca-se a participação da APANT num evento sobre o conceito U-Space que abrirá a porta no espaço aéreo europeu a um conjunto de serviços de apoio à integração das aeronaves não tripuladas.

Durante os quatro dias da cimeira, e em comparação com os eventos passados, foi-nos possível constatar através da interação direta com os visitantes que se deslocaram ao stand da APANT que a perceção do potencial relativamente à utilização desta nova tecnologia em Portugal está em franco crescimento. Desde os utilizadores recreativos até aos utilizadores profissionais, bem como, entidades de suporte (materiais, software, etc..), entidades oficiais, foi possível concluir que, de facto, existe já uma boa compreensão do que este promissor futuro, a médio e curto prazo, tem para oferecer.

A APANT, enquanto entidade de referência para o sector das aeronaves não tripuladas em Portugal, destaca o excelente ambiente proporcionado pela Câmara Municipal de Ponte de Sor e a organização do Portugal Air Summit que tem contribuído nos últimos 3 anos para uma maior sensibilização e acesso de toda a sociedade ao que as aeronaves não tripuladas, e respetiva tecnologia, têm para contribuir em prol da criação de mais-valias para a sociedade em todos os sectores basilares.

Como nota final, a Associação Portuguesa de Aeronaves Não Tripuladas, continuará a acompanhar todos os desenvolvimentos regulamentares e tecnológicos, tanto a nível nacional como internacional, e irá cada vez mais, participar nos principais fóruns de discussão e assumir-se como entidade de referência para a integração segura das aeronaves não tripuladas no espaço aéreo.