By
 In news

A Associação Portuguesa de Aeronaves Não Tripuladas (APANT) como entidade de referência nacional para o setor, vem por este meio repudiar os criminosos eventos ocorridos em Gatwick e que, de forma altamente nociva, colocaram a SEGURANÇA de milhares de passageiros em risco bem como contribuíram para o normal funcionamento do sistema de transporte aéreo.

Como ficou bem vincado pela intervenção da APANT na entrevista realizada na SIC Noticias, através do nosso membro da direção, Engº João Gomes Mota, esta foi uma ação concertada o que por si só revela de forma premente a necessidade de continuarmos com a SENSIBILIZAÇÂO e EDUCAÇÃO para a utilização destes novos equipamentos.

De facto, conforme destacado na entrevista pela APANT “…é muito importante aprender com os bons exemplos e combater os maus exemplos...”, elogiando de maneira especial o exemplo e a excelente escola dos aeromodelistas. Não nos podemos esquecer que há pessoas para quem a utilização de aeronaves não tripuladas (drones) é o seu meio de subsistência. Existem hoje em Portugal várias empresas de cariz micro e até médio que utilizam de forma RESPONSAVEL aeronaves não tripuladas para desempenharem as sus tarefas.

Para além da atividade comercial, existe também a atividade lúdica, e como tal, é ela também regulada sendo os seus utilizadores responsáveis pelo pedido de AUTORIZAÇÕES, sempre requeridas, para desempenharem todo o tipo de atividades. Como atividade sujeita a regulação tem também um regime sancionatório associado e que, no incumprimento da legislação, poderá constituir um crime grave aeronáutico na forma de atentado à segurança aeronáutica.

Considerando tudo o que foi acima descrito, cumpre-nos, como Associação Portuguesa de Aeronaves Não Tripuladas, pugnar pelo bom nome de toda a Comunidade e pela integração SEGURA deste tipo de aeronaves.

Finalmente, apelamos a todos os utilizadores para que cumpram os requisitos necessários à operação de Aeronaves Não Tripuladas e que tenham sempre em consideração que a partir do momento em que estão a pilotar um” drone” são RESPONSÁVEIS pela SEGURANÇA do meio onde estão a desenvolver a operação.